13 de setembro de 2007

Encontre-nos Senhor !!

Quando foi que nos perdemos ?
Quando foi que caímos ?
O que foi que nós fizemos ?
Estamos sempre tão envolvidos com nossos egos que fechamos os nossos olhos para todo aquele que não se chama EU.
Se EU posso EU verei se quero fazer,
se EU for , pensarei se quero levar,
se EU levar, pensarei se quero dar,
se EU der, pensarei se quero cobrar,
se EU cobrar, verei quanto mereço receber,
se EU receber, pensarei no que quero gastar,
e se EU gastar, farei o que EU quiser com o que EU comprar...

O homem se perdeu no seu próprio EU, no seu egoísmo fatídico , na sua ganância libidinosa, no seu poder corrupto...haveria ainda esperança para a humanidade ?
Poderia o homem mudar o curso dos fatos, inverter o processo fatal, corrigir os erros expressos ?
Poderia o homem reconhecer sua pequenez e com isso se tornar grande ao agir ?
Poderia o homem curar sua alma se redimindo se seus pecados contra si próprio?
Alcançaria o homem a misericórdia divina e através disso pararia o processo destrutivo do planeta e da vida ?
Só peço a Deus uma coisa, que ELE nos encontre, porque não consigo me lembrar onde nos perdemos....tenho uma vaga lembrança de um lugar chamado "Éden"... mas não consigo encontrar o caminho de volta.
Encontre-nos Senhor!!

3 comentários:

  1. Fabuloso post, esplêndido texto...profunda maneira de olhar o EU...


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  2. Vim através de outro blog... E deparo- me com um extraordinário texto!

    Belo sentir...

    Carinho beijo de uma nova fã..

    Beijos

    Maria

    ResponderExcluir
  3. Olá Alice, alegremente recebi sua visita e agora que retorno venho saudá-la.
    Percebo que temos em comum o contato com a Márcia Nunes com quem já me correspondo a algum tempo e admiro.
    Seu blog me causou uma ótima impressão com textos de bom gosto e que nos remetem tanto à apreciação qto à reflexão.
    Parabéns e... continuemos blogando.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...