12 de março de 2008

Coisas que não gostei

Por um instante parei, e vi que a vida não parava por minha causa.
Nada parava por mim,
tudo passava,
e junto com tudo que passava,
passava a vida de mim.

Passava a alegria e a dor, de mãos dadas e tão íntimas como jamais imaginei, passavam os amigos e os inimigos, e estes dois tão unidos que era mesmo difícil distinguí-los.

Passavam a verdade e a mentira que discutiam fortemente com a falsidade e a manipulação.
Passavam a fé e o poder, disputando entre si sobre quem reinaria, passava a solidão sozinha no meio da multidão, e passava a vida , sendo seguida de perto pela morte.

E eu parada, olhava a vida que passava, os sonhos que passavam, a juventude que já ia muito a frente de todos agarrada à esperança de retornar a vida.

Passaram a fome e a miséria gritando contra o preconceito e o abandono, a intransigência e a rudeza condenando e executando a todos, a justiça raquítica se agarrando a uma ética arrogante, e a violência muito bem vestida, sorrindo irônica para todos.

Vi a igreja passando com suas mãos erguidas louvando e com sua boca e sua língua devorando as "ovelhas" que proibidas de pensar iam se entregando.
Vi a fé de alguns remanescentes agarrada a um fio de esperança, vi o adultério rindo do amor, a traição zombando da fidelidade, a soberba pisando na complacência e o orgulho devorando tudo.
Vi o desprezo, a intolerância, a ganância e o pouco caso reinando e sendo adorados pelos religiosos nas portas dos templos.
Vi a decepção corroendo corações e descolorindo vidas.

Vi a humildade desprezada, a felicidade roubada e a alegria invejada e a morte declarada.

Vi os interesses próprios acima dos verdadeiros valores.
Vi os ressentimentos sugando o perdão e o ódio dormindo em berço esplêndido.

Vi que tudo passava diante de mim.
Então me levantei,
e só, cansada de tudo e de todos,
para o outro lado andei.

Vi,
e de nada gostei.

18 comentários:

  1. O Sol abandonou o céu
    A Lua ironiza no celeste
    Soltas perversas vontades
    Cruzam a tua vida agreste


    Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
    como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  2. Tantas coisas de que não gostamos...
    Ás vezes falta-nos isto aproveitá-las para colorir um poema e torná-las assim mais belas!

    ResponderExcluir
  3. A vontade que dá é de se tornar um gigante, imenso, e pisar em tudo isso.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Vim agradecer e retribuir a visita ao meu Mar de Sonhos.

    Adorei ler os teus textos... principalmente um que defines os teus segredos "Quem sou".

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Só nos resta ganhar ânimo e seguir em frente...

    ResponderExcluir
  6. E essa é a vida.
    Gostei muito do texto.
    E já percebi que só podemos mesmo é viver a vida. É a melhor forma de se sentir bem. Não podemos ficar parados esperando que as coisas se resolvam por si só.

    *:

    ResponderExcluir
  7. Quando paramos de andar olhando para Aquele que é o Alvo afogamo-nos em desesperança, decepção e desespero. Cabe-nos a contemplação e a ação, a poesia e a profecia. Precisamos manter os olhos no céu e pés na terra. Juntemos mãos e corações, pois “quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”.

    ResponderExcluir
  8. Alice,

    Eu amo a sua escrita... A sua forma poetizar me encanta, me faz perceber que a vida pode ser diferente e poderemos mudá-la se quisermos....

    Estive ausente por essa semana, por motivos acadêmicos, mas não via a hora de retornar ao seu espaço e me alimentar de tão saborosa amizade e versos!!!

    Bjs

    Janaína

    ResponderExcluir
  9. Parabéns por seus encantadores poemas..
    a tempos nao via alguém com tao ampla visao sobre a vida.

    Dark Kisses

    Até Mais

    ResponderExcluir
  10. É verdade, muitas coisas são tão ruins, que não gostamos, que agente nem queremos ver
    Mas, até dessas coisas ruins, sempre dá pra tirar algo, mesmo que seja um aprendizado.

    Muito bom o texto!

    Bejo.

    ResponderExcluir
  11. É uma pena.
    Mas tudo isso que descreveste existe.
    Não gosto dessa realidade, mas temos que vivê-la e ter forças para mudar tudo isso!
    Bjos!!

    ResponderExcluir
  12. Mas, sabe? Acho que é bom, de certo modo, que vejamos todas essas nuvens que encobrem o sol.
    A revolta e a indignação são fortes agentes que nos impulsionam para a ação. São momentos como esses que nos fazem tomar atitudes, lutar para fazer a diferença.
    Sempre existirão sombras, só que quando as nuvens revelarem o esplendor do sol e ficarmos virados em sua direção como um sinal de esperança, todas as sombras ficarão atrás de nós.

    Beijos, Alice!!

    ResponderExcluir
  13. Bom dia querida amiga,

    Vemos pois a vida.

    Nada mais a acrescentar.
    bjs

    ResponderExcluir
  14. Alice minha cara,
    Você é uma mulher iluminada!
    Não, não estou usando frase feita, dessas já desgastadas que muitos usam apenas para elogiar, fazer amizades ou cumprir com um ritual.
    Não. Não me proponho ao estilo bajular para me tornar simpático ou angariar amizades...

    Mas quando falo, elogio ou critico, tenha a certeza que li, analisei, refleti e, NO SEU CASO cheguei a conclusão de que você escreve com a alma!
    Independente do tema, para você não tem barreiras, mas tem lição de vida e amor a serem passados. Que aproveite quem tem juízo, boa vontade e humildade para subir os degraus da vida diária.

    Sua escrita é nobre porque usa os acontecimentos do cotidiano à luz da verdade - que está explicita no dia a dia - mas que nem todos querem olhar, iludidas, extasiadas, se esquecem de observar por todos os ângulos. Muitos, aliás, não querem mudar o mundinho criado e que no qual se aninham e fazem de conta que tudo está bem. E sabemos que não está.

    Quando você abre seus artigos, poesias, frases, pensamentos, reflexões, assim como uma cascata você faz jorrar dezenas de interrogações. É exatamente esse o ponto fundamental de quem escreve, não apenas por escrever para encher páginas e páginas, mas escrever com o objetivo de chegar ao outro, atingi-lo e, porque não, pela experiência de vida, ajuda-lo?

    Claro, minha cara Alice que se está ajudando o semelhante a cada momento que se lhes dá um ponto de reflexão, uma abertura para o diálogo, um espaço para que ele possa, mesmo que por um momento breve, aprofundar-se em si mesmo e buscar o eixo do qual se desviou, distanciando-se da rota da intuição divina, pessoal e intransferível, por indução de terceiros, ou mesmo por relapsos naturais que se nos acomete todos os dias. Afinal, somos humanos.

    Você como um Ser especial e com a vivência dos que já presenciaram os acertos e desacertos dos caminhantes - que sôfregos se deixam entregar pela condução de outros, quando deveriam, eles próprios conduzirem suas vidas - sabe muito bem o mal que esse delegar causa, e muitas vezes, com danos irreparáveis.

    Por isso, tenha a certeza que quando você se põe a escrever abrindo o seu coração, não apenas está exercitando o prazer pessoal de escrever para desabafar, mas, muito mais - e talvez você não perceba e aí é que reside o valor - está passando conhecimento, dividindo às suas experiências que é o aprendizado de décadas no lapidar da vida, extraindo e armazenando valores.

    Valores esses, que independente de riqueza material, estão acumulados em grandes quantidades no celeiro do seu coração, e que, como você bem nos demonstra, é chagada a hora da partilha. Ao partilhar a sua experiência de vida (conhecimento) e a riqueza das lições que passa aos demais, mescladas com a espiritualidade dos seres especiais (sabedoria), se torna num facho de luz a abrir mentes e corações para a realidade das entrelinhas da vida diária.

    Vida essa em que cada um tem que encontrar o seu ponto de equilíbrio num ato responsável em si mesmo, pois, ninguém poderá substituí-lo nesse dever que é de todos, porém de caráter pessoal.
    Imagine quantas pessoas se assim procedessem todos os dias deixariam a doença de lado e passariam a viver mais livres, mas soltas, mais felizes, sem a imposição diária de fardos desnecessários e prejudiciais, que são os responsáveis pela infelicidade de muita gente, enquanto outras agonizam em hospitais, entre outros ambientes médicos respirando tristeza e sobrevivendo de migalhas de esperança?

    Estamos falando, obviamente, da doença da alma. Esta que é criada todos os dias por pequenos descuidos, mas, no entanto quando se alastra faz um estrago danado. O médico competente faz com o bisturi o que você faz com as palavras: salva vidas.

    Afinal, temos uma vida e duas obrigações fundamentais: cuidar do corpo físico e sua complexidade, mas jamais se esquecer da alma que produz a energia e o bem-estar suficientes para atingir patamares superiores para uma comunhão diária e permanente entre o sagrado celeste e o sagrado de nossos corações numa só comunhão.

    É nesse momento que nos tornamos herdeiros da herança divina, em que às portas do celeiro se abrem e às bênçãos jorram em abundância!
    E a felicidade acontece.
    Vale dizer que uma palavra bem colocada na hora do desespero pode salvar uma vida.
    Já pensou em quantas vidas mundo afora - via rede - você pode estar salvando nesse momento?
    Eu não sei, você também não sabe, mas Deus sabe!
    Por isso, fortalece a sua pena.
    André Wernner

    .-.-.-.-
    Alice,
    O texto é longo e eu não raciono palavras. Nem sentimentos. Como vem, vai. Agrada uns, desagrada muitos, principalmente os que não são adeptos da leitura. Da leitura que se expressa pelas vias do coração.
    No mais fique com Ele e com a paz dEle.
    AW

    ResponderExcluir
  15. Oi Alice

    Como é importante ver.
    Os profetas também viam uma realidade que muitos não queriam enxergar.
    Da mesma forma que é necessário ouvidos para ouvir,também necessitamos de olhos para ver.
    E o melhor de tudo isso é registrar esses momentos pois a indignação passa e os olhos se turvam, ficam acomodados e depois...não enxergam mais nada.

    Um abração

    ResponderExcluir
  16. Mandou ver o irmão André!

    É isso mesmo - os sentimentos são de tristeza quando percebemos que os homens - os religiosos inclusive, se afastam tanto de Deus.

    Não se canse. Não se atenha. Não cesses de falar do Seu amor.

    Use o dom que Deus lhe deu, na palavra, na poesia, na sensibilidade.

    Fique na paz!

    ResponderExcluir
  17. Como foi bom, está sendo e será conviver contigo e aompanhar o seu amadurecer em viver e sentir essa vida que Deus nos proporcionou, estou emocionado.

    Beijão

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...