10 de julho de 2008

Auto-Retrato III

Muitas vezes já borraram meu sorriso
e outras tantas embaçaram meu olhar,
outras vezes apagaram minhas letras
e em outras calaram meu canto
e secaram minha voz.
A vida já foi muito dura,
implacável e sinistra ao meu redor,
e eu já rejeitei,
recusei,
e desprezei minha própria dor.
Já andei por caminhos escuros com estranhos
e já entreguei meu coração a quem nem merecia sequer meu olhar.
Já me enganei,
chorei, e gritei
e já quase desisti de continuar aqui.
Já fui onde você não iria,
já fumei o que não podia
já comprei o que não queria
e já falei o que não devia.
Julguei e fui julgada,
condenei e fui condenada,
mas também amei, e fui muito amada.
Em minha vida encontrei pessoas
descobri amigos
caminhei com irmãos
acreditei em homens
me decepcionei com idéias e ideais
desisti de muita gente e de muita coisa,
mas ainda não consegui desistir de mim.
Descobri mentiras nas verdades
e verdades nas mentiras,
vi que os fatos nem sempre são o que vemos
e o que vemos nem sempre são os fatos.
Vi traições entre amigos e entre amantes
e chorei a dor de ser traída,
por amigos e por amantes.
Sinto muita melancolia,
muita saudade e muita ansiedade,
e me arrependo muito de não ter pensado mais,
calado mais
e me aquietado mais.
Perdi muita coisa:
paciência
oportunidades,
amigos,
amores,
crenças,
pontos de vista,
dinheiro,
compromissos,
ideais
alegrias e sonhos,
mas ainda tenho a mim e a minha fé.
Ainda tenho a Deus em quem me agarro,
e ainda tenho a esperança de sentir
aquela alegria genuína
que um dia pensei que nunca perderia.
Ainda tenho muito amor pra dar,
mas já não sei se tenho tanto ânimo para amar.
Não gostaria mais de passar por tudo o que já passei,
mas sei também que na vida além de tudo passar,
tudo pode também voltar.
Minha maior esperança,
é voltar a ter em meus lábios o meu sorriso de criança,
é voltar a confiar e acreditar,
é conseguir fugir do castelo dessa chata Rainha Má
e tomar minha poção de encolher,
porque sinto que ultimamente cresci demais.
Gosto mesmo é de sorrir e me deixar levar pela alegria,
mas parece que os anos dessa minha vida vivida
me tem sugado essa energia.

Parece triste , mas não é.
É só a vida vivida, assim como ela é.

11 comentários:

  1. Querida amiga,

    A vida como ela é, como nos é colocada a vivê-la...
    Não é possível sofrer demais, se viver já por si mesmo é um sofrimento maior.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá querida Alice,

    Na verdade, a vida é mesmo isso.

    Quanta coisa linda!

    Quanta coisa ruim!

    Pois é, mas não desista, não!

    Com essa alma bela, continue a cantar, a sorrir e a alegra-se!

    e, tambem a alegrar-nos a nós que a amamos e não nos cansamos de "sorver", as expressões de alma,
    que de si saiem direitinhas ao nosso coração.

    Tenha um lindo dia.

    Um beijo
    Viviana

    ResponderExcluir
  3. Fiquei impressionado contigo...palavras para quê!?


    Dope beijo

    ResponderExcluir
  4. me lembrou um belo texto de charles spencer chaplin... muito linda Alice, triste sim, pois a vida não é só alegrias, mas lindo...

    ResponderExcluir
  5. Alice,
    Sempre te encontro nos blogs dos meus amigos (Volney, Lou, Bete, Lia, só pra citar alguns, rsrsrs); Já algumas vezes vim te visitar e apreciar teus escritos e esta tua alma poética linda, mas só hoje resolvi marcar presença...
    Parabéns! Você escreve MUITO bem!
    Lindo post!
    Beijo carinhoso, Neli

    ResponderExcluir
  6. Minha estimada amiga.
    Você é a mais feliz das criaturas, pois tens infiltrado no intimo da sua alma., a palavra bondade resignação e amor.
    Amor ao próximo, e amor a sí mesma.
    Isso amigo é uma reflexão para sua vida:
    Num rasgo de saudade,
    Viajei no tempo
    Perdi o sono
    Revi planos.

    Num rasgo de saudades
    Viajei com o vento
    Acompanhei seu canto
    revi momentos,
    Cantei cantigas
    Dos tempos idos
    Que repetiam
    Não pára agora
    Que o tempo urge
    Não pára agora
    Revive o sonho, que te fez ressurgir no tempo.
    Abraça o tempo
    Refaz o amor
    Constrói castelos
    E pontes e luas
    Que afungentam a dor.

    Nas sombras do teu castelo
    a vida se faz com ardor

    Não pára agora
    Espera o amor
    momentos idos
    Momentos findos
    São tão só os teus momentos
    as linhas da tua vida
    Em que vivestes com tanto amor.
    Aprendestes o canto
    Da alma pura
    Que rí e chora
    Que pede e implora

    Não pára agora
    Teu canto é vida
    teu sonho é luz
    Não pára agora

    Que o amor é vida,
    E te conduz.

    bom fim de semana com muita paz e amor em seu coração.

    beijos amiga.

    Regina coeli.

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...