5 de novembro de 2010

Assumindo, Meditando...

O que esperam de mim nem sempre é o que posso oferecer, e aquilo que ofereço, quase sempre não satisfaz as expectativas de quem aguarda. É sempre assim.

Somos diferentes, algumas vezes até mesmo surpreendentes, mas na maioria das vezes somos mesmo "defasados" em nossos atos.

Quantas vezes já não dei tudo de mim para alegrar alguém que nem percebeu o que eu fazia?

Quantas vezes esperei algo diferente quando a mesmice estava plantada dentro de mim?

Expectativa nunca é uma coisa boa.

Alegrar-se no outro (e a cada dia aprendo mais) é apenas aceitar o outro. Tal qual ele é, e não como eu desejo que seja.

Se meu coração aprender a não esperar de quem amo mais do que ele pode me dar em suas limitações, posso amá-lo mais.

Quando esperamos demais de quem amamos , transformamos nossos amados em responsáveis por nossas satisfações, e isso além de ridículo é injusto.

Temos que acertar o foco e mirar em nós, fazendo de nós mesmos pessoas melhores e mais agradáveis, pessoas mais tratáveis, mais sensíveis e atenciosas com quem amamos, independente de sermos também assim tratados.

Há que se ter dentro de nosso ser um pouco mais de desprendimento quanto ao outro e mais responsabilidade quanto a nós.

É o meu caráter que tem que melhorar, e é a minha personalidade que precisa ser transformada...É minha alma que precisa ser curada. afinal, a imagem que reflete no espelho é a minha !

Quando assumimos nossa responsabilidade por nossa felicidade e tiramos do outro a culpa por não sermos ou termos aquilo que sonhamos, a própria vida nos dará asas para voar e ir ao mundo dos sonhos buscar novos valores para nós.

Hoje, meu exercício diário é assumir-me e conhecer-me para conseguir libertar aqueles que amo,...aceitar-me e amar-me para poder doar de mim uma porção generosa aos meus amados,...fazer com minhas próprias mãos, e parar com essa horrível mania que temos de esperar que outros nos dêem pronto aquilo que desejamos ter.

E concluo que não quero mais ser preguiçosa ao construir alguém melhor dentro mim, e nem relapsa ao amar (no sentido real da palavra) a quem espero que também me ame.



******

3 comentários:

  1. querida Alice,

    criamos realmente um expectativa de nós mesmos... e principalmente dos outros...
    a decepção causa uma frustração terrivel e até revoltante...
    mas o que fico meditando é as diferenças das pessoas são realmente externas...
    por dentro todos temos
    medos
    curiosidades
    fome
    sede
    e desejo de ser diferente...

    precisamos muito uns dos outros...
    a vida nos fortaleceu
    o Criador nos presenteou com uma amizade sincera...
    com uma família...
    com um amigo...
    Pergunto:
    pra que?
    pra ser pra eles!
    pra ajudar
    nos ajudar...
    quando somos amigos e somos instrumento... somos felizes de verdade!
    amar o proximo como a nós mesmo...
    aiaiai... (rsrs)

    amei a reunião ontem!
    Deus te abençoe minha irmã...
    ja estamos todos com saudades do seu seu sorriso cativante :)


    beijos
    Priscila Lima.

    ResponderExcluir
  2. Bem, não poderia chegar a conclusao melhor, acho que aprendi muito só de ler isso hoje, e falo sério, as vezes sofro por esperar demais de quem amo, mais do que ela pode dar, mas isso nao quer dizer que ela nao esteja me dando o melhor que pode, acho que isso tudo que voc/ê disse, aliado a uma frase que tenho escutado desde muito novo é a formula certa pra fazer as coisas darem certo...

    A chave pro amor, é você querer fazer a pessoa amada feliz, enquanto a pessoa amada faz o mesmo por você...

    ResponderExcluir
  3. Que linda e profunda reflexão, Alice!!!

    Vejo muitas pessoas colocando nos outros a responsabilidade por suas vidas de fracasso, tédio, falta de perspectiva...

    Difícil mesmo é se questionar e tomar a sua vida, e andar...

    bjs reflexivos

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...