Pular para o conteúdo principal

Todo dia, era dia de índio...


Todo dia era dia de alegria,
a gente sorria , brincava e corria
a gente caçava , dançava, e comia
porque todo dia era dia de alegria
Então, num dia de alegre euforia
chegou visita na casa da alegria
e a visita entrou e não mais saía
e quando saiu levou nossa vida
Hoje nossa vida estranha ficou
tem choro, doença que o branco deixou
nosso tersouro e nossas riquezas, alguém roubou
a morte e a dor com a gente sentou
e hoje só se come o que do branco restou.
Não tem mais dança, floreta e nem terra,
mas tem muita gente querendo guerra
não é mais guerra de índio (de pau e pedra)
mas guerra de branco (que em tudo exagera)
Todo dia era dia de alegria, dia de vida e de euforia
a gente corria e dançava,
caçava e comia
a gente ia e vinha,
e vivia sorrindo
só porque todo dia , era dia de índio.

Comentários

  1. Olá Alice,

    Obrigada pela visita, será um prazer ser linkada por aqui, eu poderia linká-la também?


    Um beijo e ótimo final de semana,
    Bárbara M.P.

    ResponderExcluir
  2. Um velho tema com um jeito simpatico. Bela homenagem aos povos indígenas.

    ResponderExcluir
  3. Lindo o texto em dona! rsrs...
    ainda bem que eu tive a quem puxar! =D

    te amo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...

Postagens mais visitadas deste blog

À GEORGIA (Saia Justa), COM CARINHO...

Georgia , Quem não te conhece não sabe o quanto é doce teu coração. Quem não te conhece não pode imaginar o quanto são fundamentadas as suas ações. Cidadania, integridade e sensibilidade talvez pudessem ser seus nomes e sobrenomes. Você Georgia, é daquelas pessoas que nos surpreendem pela sensibilidade espiritual e pela atenção que tem ao que é importante e ao que pode melhorar nosso planeta e seus habitantes. São pessoas como você que fazem a diferença, que movem os moinhos, que constróem os castelos eternos e que transformam o que nos parecia imutável. Nos pouco mais de 2 anos que estou "no ar" nessa maluca e indispensável blogosféra , tenho acompanhado suas postagens com carinho e atenção. Tenho te visto engajada em temas profundos e sérios, tenho partilhado de sua linda família e seu amor por eles, e te vejo movida movida por ideais maiores a cada palavra que nasce de tua escrita. Gostaria muito que todos me ouvissem ou me lessem quando digo que nosso mundo precisa de pes

Militância Chata

Estou de saco cheio dessa militância . Que coisa mais chata essa gente cheia de verdades absolutas, pontos de vista únicos, pensamentos perfeitos e visões aguçadas. Ninguém mais sabe conversar, apenas discutir , brigar, e tudo para provar que está com a razão. Seja o tema politico' , social , religioso ou apenas qualquer bobagem, já se torna uma discussão. To cansada disso. Muito. Só queria poder ouvir , poder falar, poder ser , poder ver, e poder pensar ....sem alguém pra criticar, corrigir ou completar. Cansei.

Minha Doce Eternidade

Quanto tempo você levou para descobrir que o tempo passou pra você ? Eu, particularmente, nunca pensei que o tempo pudesse passar pra mim, e sempre acreditei na eternidade (eterna alegria, eterna juventude, eterna saúde) . Mas o tempo passa, e passa tão naturalmente que mesmo com o passar dele ainda me sinto eterna ( rsrsss ). Sinto-me como sempre me senti. Posso perceber em mim a mesma Alice de 15 anos, ou a mesma de 28 anos, ou ainda a mesma dos 35 anos. Penso da mesma forma, choro com a mesma dor, grito com a mesma intensidade, me alegro com a mesma euforia, mas a única coisa que estranho é essa imagem que teima em aparecer todos os dias pra mim diante espelho...Nessa imagem há cabelos estranhos que clareiam a cada dia e penso que ainda ficarão todos brancos...nesse corpo que vejo já não há tanta leveza e muito menos agilidade, e há também certas dores que caminham por ele que antes eu não notava. Mas ainda me sinto eterna. Há uma estranha dentro de mim que briga comigo o tempo t