Pular para o conteúdo principal

Eu iria..


...E se eu pudesse agora

arrancaria de minha mente a hora

e cantaria um lamento
e correria contra o vento...

... E se agora eu pudesse

e lentamente eu fizesse

de minha liberdade

uma fortaleza,

e de minha certeza

uma cidade,

eu pra lá iria

e enfim encontraria

o descanso de meus dias...
...e se eu pudesse, eu iria.

Comentários

  1. Sempre podemos principalmente sonhando, um feliz dia das mães, paz.
    Lisette.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Alice!

    Esse poema me faz lembrar um velho e bonito hino cuja versão portuguesa na minha infância era cantado por Feliciano Amaral: Paz no vale!
    Um dia chegaremos lá... Enquanto não chega o dia, caminhemos e ajudemos uns aos outros nessa caminhada.
    Abraço da Paraiba.

    ResponderExcluir
  3. Profissão Mãe.


    Uma mulher chamada Ana foi renovar sua carteira de motorista.
    Pediram-lhe para informar qual era sua profissão.
    Ela hesitou, sem saber como se classificar.

    "O que eu pergunto é se tem algum trabalho", insistiu o funcionário.
    "Claro que tenho um trabalho" exclamou Ana. "Sou mãe!"

    "Nós não consideramos mãe um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente.

    Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.

    "Qual é a sua ocupação?" perguntou.
    Não sei o que me fez dizer isto. As palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora: "Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."

    A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar pra o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
    Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.

    Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.

    "Posso perguntar" disse-me ela com novo interesse "o que faz exatamente?"

    Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder: "Desenvolvo um programa de longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
    Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi quatro projetos (todas meninas).
    Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda?).
    O grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24)"

    Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária, que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente abriu-me a porta.

    Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe: uma com 13 anos, outra com 7 e outra com

    Do andar de cima, pude ouvir meu novo experimento - um bebê de seis meses - testando uma nova tonalidade de voz.
    Senti-me triunfante!

    Maternidade... que carreira gloriosa!

    Assim, as avós deviam ser chamadas Doutora-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas, as bisavós Doutora-Executiva-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas e as tias Doutora-Assistente.

    Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas, companheiras, Doutoras na Arte de Fazer a Vida Melhor!

    (Marcelo Dias).

    beijooo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...

Postagens mais visitadas deste blog

Militância Chata

Estou de saco cheio dessa militância . Que coisa mais chata essa gente cheia de verdades absolutas, pontos de vista únicos, pensamentos perfeitos e visões aguçadas. Ninguém mais sabe conversar, apenas discutir , brigar, e tudo para provar que está com a razão. Seja o tema politico' , social , religioso ou apenas qualquer bobagem, já se torna uma discussão. To cansada disso. Muito. Só queria poder ouvir , poder falar, poder ser , poder ver, e poder pensar ....sem alguém pra criticar, corrigir ou completar. Cansei.

Cansada demais.

Tô cansada demais , e hoje, particularmente, me sinto exausta. O maridão opera novamente na semana que vem e dessa vez terá que esvaziar a axila esquerda para a retirada de um nódulo. Recomeçamos a romaria.... e eu, a minha luta contra a angústia, afinal, é isso que sente quem ama aquele que sofre. Se você que lê é amigo ou do bem em Cristo Jesus , por favor, ore a favor dele pois creio que muito vale a oração do justo em seus efeitos, mas se você que lê , não gosta de mim ou é do mal, tome cuidado com o que sente ou pede para o seu deus, pois o meu é SENHOR da Justiça, da Guerra e do Amor, e tenho absoluta certeza que ELE entrará a meu favor para me defender contra seus desejos. Continuo cansada demais.

Entre Águas, Anjos e Flores , despedida de Luísa Lunardi 18/3

ENTRE ÁGUAS, ANJOS E FLORES. ...e derrepente olhei para os lados e vi, olhos molhados, marejados, doídos, contraídos pela compaixão, tímidos pela dor, reflexivos , incompreendidos, que sem resposta questionavam... Vi um parto inverso, senti a lâmina que rasgava os úteros , ouvi o soluço gemido e inconsolável do choro de quem abria sua alma em luto. Olhei e vi as mãos , inúmeras mãos, apertadas e entrelaçadas, mãos agarradas ao invisível coração ou elevadas aos céus em oração . Olhei e vi olhares que queriam abraçar, olhares que desejam consolar, olhares que queriam gritar, olhares que nem mais podiam olhar... Vi olhares de anjos, de amigos e de irmãos . Ouvi palavras que desejavam ser ditas sendo silenciadas pelo som insuportável do silêncio da dor. Vi o mover de passos que eram preciso dar mas que não levavam a lugar algum , e senti a areia grossa sob meus pés a me empurrar para o mar. ...e derrepente olhei e vi o cinza do céu trazendo as águas de um dia que ch