25 de janeiro de 2008

O meu canto.

Canto,
e num lamento entrego a vida ao som da alma.
Canto,
e por encanto não mais lamento a dor,
recupero a cor, e novamente canto.
Canto,
e num momento a alegria retorna,
a vida me adorna,
e nada mais importa.
Canto,
e a paz invade o corpo,
e me deixa mole
e ninguém mais bole,
ninguém mais torçe meu encanto.
Canto,
simplesmente canto,
e me levanto,
e alcanço,
e me entrego,
me esfrego
e me molho,
mergulho e apago o fogo,
e mostro o meu canto,
mostro minh'alma lavada
mostro minha vida marcada
mostro a dor escancarada
e a alegria restaurada.
É por isso que canto.
Simplesmente canto.

Porque cantar me limpa,
me restaura e me renova.
Cantar encanta minh'alma,
e refaz minha calma.

Canto,
em qualquer canto,
eu canto.

4 comentários:

  1. Canta com mais força e mais vigor
    que ouvindo a fé desse teu canto
    um dia o proprio Deus canta contigo!bjj.:)

    ResponderExcluir
  2. É na voz.. sonora voz, que o dito ecoa bem aqui pertinho.

    Bjs,


    Texto de hoje: SeR...

    Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

    O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

    ResponderExcluir
  3. Quero ouvir o teu canto...gostava de te ouvir cantar...sou compositor...


    Doce beijo minha querida


    adicionei-te ao meu msm

    ResponderExcluir
  4. Que poesia linda, querida!

    Muuuito obrigado por espalhar um pouco do maravilhoso perfume de Cristo lá no meu canto.=]

    Bjo

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...