14 de fevereiro de 2008

Apunhalada

Foi assim,
como ferro frio em carne quente
e que entrando foi queimando a alma
arrancando o amor e destruindo a vida.
Foi assim,
tão frio como um punhal
que entra cego e te atravessa as costas
e te deixa mortalmente frágil,
e eternamente exposta
Foi uma dor,
dura como aço,
que se fez inflexível em suas mentiras
e irreconhececível em sua face.
Foi assim,
o triste fim de quem amava
e pelas costas apunhalada
teve toda sua vida roubada.

10 comentários:

  1. Alice,
    Brincando com seriedade com as palavras...

    Histórias e poemas que a vida conta
    E mostra a aflição da gente
    Que por anos se deixa ausente,
    Privilegiando outro ente...

    O tempo passa e quando a máscara cai
    Sentimos a dor d’alma que triste se esvai...

    Buscamos encontrar a paz que só ela trás
    O que nos conforta e nos refaz!
    O tempo,
    Ah! O tempo, nosso amigo, nosso aliado
    Mas ao mesmo tempo, o nosso vingador...

    Quem não se entrega não ama.
    Quem não ama se entrega e se faz em dor...
    É preciso mudar e transformar tudo isso em amor!

    Amor sem cobrança, amor sem vingança
    Nem que seja na esperança de que a melhor vingança
    E a entrega, de toda dor, na balança do Senhor!

    Abs

    ResponderExcluir
  2. Alice , meu anjo.
    Já tava com saudade de você. Eu estava com problemas nos comentários.

    Belissímo texto.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Alice...

    Acho que conheces o meu coração!!!

    Terrivel dor eu pude sentir quando fui apunhalada por tantas mentiras, e depois traída, humilhada por quem tanto eu amava...

    Esse, que vos falo, foi o meu amor, o meu unico amor...

    Homem, que eu escolhi para que fosse parte da minha carne, e vivesse parte da minha vida...

    A ele dei o meu amor e dois anos da minha juventude!!!

    O entregue meus mais belos sonhos, e a ele entregue o querer realizá-los...

    Então, esse alguém, mesmo que vivo já é morto...

    Morto em mim, e por mim!!!

    Não por eu quer, mas por precisar de folêgo, por precisar resistir, por precisar viver...

    As suas palavras disseram tudo de mim!!!

    Bjs

    Janaína

    ResponderExcluir
  4. Alice de uma certa forma ou de outra há sempre alguém ou alguma coisa nos apunhalando.

    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  5. Ser apunhalado é sempre doído, ainda mais por quem se ama.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. A melodia do teu canto reverbera no tempo
    A lonjura é o momento do abraço
    O teu sorriso chegou ao meu silêncio
    Solta palavra doce no espaço

    Uma torrente de emoções para ti


    Um mágico fim de semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  7. Difícil suportar o peso cortante e frio de um punhal. Especialmente quando penetra onde os olhos não vigiam.

    ResponderExcluir
  8. Oiiiiiii!!!!!!!

    Paixão, doi que mata, como um punhal de prata.
    Muito bonito.
    parabéns.
    bjs

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...