25 de março de 2008

Nem santo, nem profano

Já dizia Sheakspeare:
Ser ou não ser, eis a questão.

Ser verdadeiro e não ser falso
Ser ativo e não ser passivo
Ser vivo e não ser morto
Ser torto e não ser liso
Ser de Cristo sem ter que ser crente
Ser ciente e não tocar naquilo
Ser luz e não viver no escuro
Ser bom mas não ser burro
Ser educado e não ser tolo
Ser amado sem ser odiado
Ser amigo e não ter inimigos
Ser íntegro e não ficar irado
Ser santo ou ser profano? Eis a questão.

Nem santo e nem profano,
mas sem medo de dizer NÃO !!

6 comentários:

  1. Realmente, temos que buscar melhoras sempre!
    Mas, cientes que não dá pra ser perfeito.

    Muito bom!
    Gostei muito!

    Abração.

    ResponderExcluir
  2. É um prazer visitar seu blog, mas vamos lá. Dizem que a palavra sincero tem origem em Roma, onde os vasos de cera eram polidos até ficarem tão transparentes que dava para ver os objetos neles postos. Daí se dizia: estão quase sin cera!
    Pois bem, amiga, não dá para ser sincero ao ponto, e não fazer inimigos. As pessoas desejam dissimulação, mas a vida continua...
    Sucessos na paz do que é sincero conosco, ao ponto de nos amar sem esconder nossos erros. Por isso, muitos se tornam inimigos da cruz.

    ResponderExcluir
  3. Alice, mesmo nao querendo somos um pouco de cada um.

    Beijao

    ResponderExcluir
  4. Um Profeta é um pouco das duas coisas...

    Esta é a alma que voa de um Profeta
    Ao encontro do teu sentimento
    Este é o sal de alva espuma
    Que te ofereço e diadema de espanto…

    Olhos de alma, da tua alma
    Quero-os no cais da minha chegada
    Espero por ti em manto de ternura
    No encontro da minha caminhada


    Bom fim de semana

    Mágico beijo

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...