17 de agosto de 2008

CLAUSTROFOBIA

Tristeza,
desânimo,
angústia,
decepção,
e uma boa dose de "danem-se"(!)...
São sentimentos que quando me invadem
tem o poder de absorver e sorver,
e de fazer doer...
Bom seria poder mandar tudo (e todos) "as favas"(!)
e libertar-me desse casulo horroroso e claustrofóbico que me envolve,
e livre, num único romper,
tornar-me enfim,
a borboleta que há em mim,
e poder partir,
e sair,
e ir,
e voar...
pra bem longe,
pra muito longe desse lugar
e nunca mais voltar...

23 comentários:

  1. Se queres asas para voar,
    posso te dar as minhas,
    não apendi a usar.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Alice querida,
    às vezes me sinto como você, e então meu pensamento voa e eu escrevo...esta é a minha forma de ser borboleta, mesmo dentro do "casulo" que às vezes também me aprisiona,linda!
    Fica bem!
    beijo carinhoso,
    Neli

    ResponderExcluir
  3. Alice,
    Sou sua fã.
    Não tenho blog, não sei escrever.
    Mas quando visito o seu, viajo com você.
    Deus te abençoe sempre.
    Priscila

    ResponderExcluir
  4. Olá querida Alice,

    Como eu a entendo, minha boa amiga!

    Um abraço e um lindo dia para si.

    Viviana

    ResponderExcluir
  5. Bandeiras,

    ...estou tentando aprender a voar até hoje... quem sabe a gente ainda aprende juntas ?!!
    bjinhusss

    Neli,

    escrever pra mim tb é uma forma de se libertar, e de ser algo que certamente nunca serei.

    Priscila,

    venha sempre!!... estremos sempre aqui para sonharmos juntas e viajar !!

    Viviana,

    somos todas muito parecidas , nãoé ?
    bjinhussss

    Bete,
    ... nada menina, esse retrato é o meu, o seu é mais bonito !!!

    bjkasssssssss

    ResponderExcluir
  6. Alice,

    Às vezes dá vontade mesmo de mandar tudo às favas. Mas uma vez li uma frase que guardei para mim: "Não mande nada às favas, mas tire o mel das favas".

    Graça e Paz sobre ti.

    ResponderExcluir
  7. É isso aí Juber !!....vou começar a expremer essas favas pra ver se pelo menos o mel sai !!..rsrsss

    bjksss

    ResponderExcluir
  8. Não fique inimiga da tristeza. Trate de dialogar com ela e dela saber o que quer para que assim possa escapar para o que quer sentir.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  9. Cadinho,

    tenho falado muito com ela, mas ela teima em não me responder....

    bjinhuss

    ResponderExcluir
  10. Pensar em transformação já é em si uma forma de transformar...
    beijos Mila

    ResponderExcluir
  11. Bom dia Amiga!

    Como é bom voltar aqui.

    Ainda não consegui voar...

    Uma otima tarde pra vc.


    beijooo.

    ResponderExcluir
  12. Pensei que só eu estivesse nessa fase de tristeza...

    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Pensei que só eu estivesse nessa fase de tristeza...

    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. È um texto bem melancolico e realista, acho que todos passam ou já passaram por isso, até que um dia a borboleta floresce dentro de nós e saimos para voar, caimos e levantamos, mas nunca podemos desanimar.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Mila, concordo com vc e transformar dói não é ?

    Amiga ...pelos caminhos..... um dia a gente consegue, todos os dias tento romper esse casulo, mas ta duuuuroooo...

    Ultra violet,

    todos nós passamos esses momento... aliás, as vezes penso que eles são bem maiores do que os bons momentos...

    bjkas pra todos

    ResponderExcluir
  16. Também tenho me sentido assim ultimamente, mas é mais difícil do que eu pensava romper o casulo. Conforta-me pensar que, quando enfim eu conseguir, serei alguém mais completa, mais bonita, mais feliz! Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Alice,
    O primeiro passo para essa libertação você já deu!
    Sentiu, vivenciou, desejou...
    Portanto, viajou e se entregou a outra realidade, aquela que está acima de tudo e de todos, porque fala a língua da alma, esta que não tem fronteiras nem se prende a mesquinhez dos que carregam como formigas, mas jamais produzirão como as abelhas...
    A liberdade é um estado de espírito permanente e atravessar a fronteira é um desejo, uma incógnita e uma descoberta que, por ora, está muito bem guardada cuja chave só a Sabedoria detém.
    Porém, com a busca permanente e o mergulhar na grande Verdade, tudo se funde entre o Ser e o Estar de um novo tempo. Tempo de felicidade interior que resplandece eternamente no coração dos que encontraram a plenitude, independente do quadrante terreno, mas unido está no eixo do Universo.

    ResponderExcluir
  18. Às vezes tenho vontade de sair correndo e nem deixar rastro... E de jogar tudo para o alto, me libertando de tantos "tem que"... Mas depois, me acalmo, e me vem novamente o bom senso, ou a necessidade de continuar... E quando me pego em desânimo, tristeza daquelas de doer a alma... peço a Deus que me dê o Seu caminho de escape, a Sua solução... pois senão corro o risco de entrar em depressão...
    Ânimo!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  19. Hei, abra as asas entam e deixa ao menos a gente ver a beleza do colorido...

    Beijao

    ResponderExcluir
  20. A despeito dos seus versos volto em busca de outros.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  21. Oi, Alice! É bom a gente parar de se ver pelos olhos dos outros... é isso, o "danem-se!" É dizer que a visão que se tem de nós não vale, não é importante; é torta, é tendenciosa, parcial, pois o outro nos vê em parte.

    Mas ver-nos pelos olhos de Deus talvez seja mais difícil, pois acabam-se nossas justificativas, nossas desculpas, nossa vitimização, a autopiedade. São dois lados de uma mesma moeda.

    Um beijo,

    Maya

    ResponderExcluir
  22. Hipótese diagnóstica:
    TPM rsrsrs

    Acertei???
    Bjs

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...