4 de novembro de 2008

CONFESSANDO EM RIMAS

Não suporto:
hipocrisia, mentiras e falsidade,
gente que enrola e gente que mente a idade.
Não aguento:
enrolação, fofoqueiros e oportunistas
e gente que gruda, pra mim é mal vista.
Me enlouquece:
lamentações, xurumelas e reclamações
e gente que mistura nossas vidas em suas ações.

Me dá nojo:
os manipuladores e aproveitadores
e gente que não se interessa pelo tamanho de nossas dores.

Ainda que eu não suporte ou não aguente,
enlouqueça ou me enoje,
vivo rodeada por gente assim ,
e mesmo que eu me esforce
eles estão sempre por perto de mim...
Ainda que eu me afaste não consigo evitar
o olhar, o criticar e o vigiar
dessa turminha difícil de evitar.
Ainda que eu faça versos,
para com tudo isso brincar
o mais difícil é a Deus que eu peço:
que eu possa a esses também amar.




6 comentários:

  1. É mesmo assim que se pensa, Alice.
    Primeiro colocar tudo para fora, depois de haver limpo a casa, sorrir!

    ResponderExcluir
  2. Realmente devemos pedir a Deus mesmo,ninguém merece pessoas assim.

    Bom dia amiga!

    beijooo.

    ResponderExcluir
  3. Uia! Alicinha brava!

    A gente quer amar sim, mas tem hora que GRRRRRRRRRRRRR!!!!!

    ResponderExcluir
  4. É o mais difícil, sem dúvida!
    Pra mim, beira o impossível...

    ResponderExcluir
  5. "Amar o próximo como a ti mesmo..."
    Sinceramente, isso eu acho o mais difícil...

    "qdo alguém te bateres à face, de o outro lado"
    Isso eu acho praticamente impossível...

    Mas na medida do possível, vamos tentando ser "bons"...
    Mas ser santo é praticamente impossível...

    Beijinhos...mais um divertido poema...

    ResponderExcluir
  6. Alice, estou cercada por pessoas aqui descritas... Então é perdoar e saber até onde dá para ter um relacionamento, mesmo que de colegas... Tentar ver as mazelas da pessoa por detrás daquele muro que a própria pessoa ergueu; mas, às vezes, dá uma vontade de sair correndo, afinal...
    Bjs

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...