26 de novembro de 2008

TIÊ SANGUE

...Ouço seu canto e sei que nessa hora estás a adorar teu Criador...
Procuro-te entre as folhas das árvores ou escondido nas folhagens do jardim... entre saíras e bem-te-vis o teu vermelho sangue faz meus olhos brilharem de emoção... E quando te encontro, é como se Deus sorrisse pra mim.

( Neli querida, ele é lindo demais ! )

10 comentários:

  1. olá amiga!

    Adoro passarinhos, a pouco tempo atras perdi a minha kalopsita(Amy),era uma fofura,a princezinha da casa.

    bjs.

    ResponderExcluir
  2. Alice, minha querida!

    Que bom que lembrou de mim ao postar estas palavras tão lindas e estas fotos do Tiê Sangue...

    Achei ele muito lindinho, mesmo!

    "E quando te encontro, é como se Deus sorrisse pra mim."

    Com certeza Deus está sorrindo para você, Alice!

    beijo carinhoso,

    Neli

    ResponderExcluir
  3. Ai que linda passarinho. Não há dúvida de que Deus quando fez os componentes da natureza, deve ter se deliciado com cada criação, não é Alice? De olhar as fotos até parecia que ia ouvi-lo cantar...

    ResponderExcluir
  4. Querida alice,

    Mas que belo passarinho!

    Fui pesquisar.

    Sò existe na América do Sul.

    Quem dera que houvesse por cá...
    Um beijo
    Viviana

    ResponderExcluir
  5. Vim aqui pedir um favor para vc Alice,gostaria de participar de uma campanha de solidariedade em prol dos Catarinenses?
    Caso aceite,espero vc lá no meu blog.


    bjs.

    ResponderExcluir
  6. Ah que privilégio te-los sempre a vista...

    Tiê sangue
    Meu coração
    Voa
    Tinge de vermelho
    O céu

    beijos mana amaaaada!
    saudade demais viu?

    ResponderExcluir
  7. Alice, que coisa linda!!!!!
    A foto é sua?

    Vivi, não se preocupe pois eu também nunca o vi nas minhas andanças pela av. Paulista...rsrsrs

    Quando Deus criou os pássaros, ele estava muiiiito contente, creio!

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Alice,

    Foto e poesia muito linda. Meus parabéns.

    Abraço.

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...