8 de dezembro de 2008

AUTO-RETRATO III


Quando eu era criança, o tempo cismava em não passar.
O Natal nunca chegava e para se comemorar o aniversário parecia que tínhamos que esperar "uma vida inteira". Me sentia livre e adorava correr descalça, pegava insetos com as mãos mas tinha muito medo do escuro.
Na minha infância, eu pensava que podia voar, e me machuquei muito tentando provar que eu podia.

Na adolescência eu queria crescer depressa.
Mentia a idade para parecer mais velha, maquiava o rosto e fumava um cigarro para que pensassem que eu já era adulta, fazia pose de inteligente e sempre queria ser aceita pelos "descolados". Brigava com meus pais, ia mal na escola e adorava "aprontar".

Na juventude eu queria mesmo era me divertir, questionar e se possível, revolucionar.
Construí sonhos de gente grande e investi na inteligência e no conhecimento. Valorizava demais a justiça (mas somente se ela estivesse ao meu favor), quis ser independente e dona do meu nariz (e na verdade só quebrei a cara), fui a luta me sentindo forte, enfrentei gigantes me sentindo forte, acertei me sentindo forte e fiz muita bobagem me sentindo forte.
Quis ser bailarina, quis ser atriz, fui modelo das antigas e acabei num escritório.
Fui jovem, pensando que era forte e que a vida era só isso, que nunca envelheceria e jamais engordaria, e em hipótese alguma sofreria.

Hoje, não sou mais a criança que esperava o Natal, nem a adolescente que queria crescer e muito menos jovem ou forte.
Caminho para o que chamam de maturidade e estou as portas de minha quinta década de vida. Me olho no espelho e vejo no seu reflexo a imagem de alguém muito diferente do que sou.
Tudo o que sinto é igual ao que sempre senti, e ainda tenho as mesmas reações de minha juventude ou adolescência, e em segredo, ainda conto as horas para o Natal e meu aniversário (e eles chegam bem mais depressa).
Sei que não tenho a vida que sonhei pra mim, e nem aquilo que "pensei merecer" um dia. Não sou tão forte quanto pensava , mas sou bem mais sensível do que imaginava.
Já não construo mais meus sonhos, e se sonho, os trato apenas como sonhos, sem me estressar para realizá-los.
Meus cabelos ficaram brancos como os de minha mãe e minhas tias, e meus filhos hoje são bem mais fortes e capazes do que fui.
Amo o que tenho, mas tenho saudades do que não pude ter, amo minha vida, mas sinto falta da vida que não vivi, me tornei um pouco nostálgica com o passar do tempo.
Minha praticidade continua ativa, mas hoje ela existe mais para evitar sofrimentos do que para realmente ser prática.
Ainda gosto demais dos inteligentes, dos pensadores e questionadores, e sei que minha rebeldia continua viva , mas está dominada dentro de mim.
Não falo mais tudo o que penso, mas quando falo procuro dizer só o que penso.
Nunca quis saber de Deus e sempre questionei as religiões, mas vivi um inquestionável milagre em minha vida, e vi o Poder de Deus ao vivo e a cores.
Me entreguei a ELE de corpo, alma e espírito e acabei "praticamente" pastoreando (porque foi mesmo só na prática e no serviço ao próximo, pois esse papo de ser pastora nunca foi comigo) uma igreja sozinha por muito tempo.
Sempre quis ser livre das regras da sociedade e sempre tive um espírito hippie e "maluquete", mas hoje quem me vê nem desconfia.
Sei que o tempo passou e sei que passará ainda mais, e se não passasse talvez nenhum de nós aguentaria.
Sei que daqui pra frente tudo será diferente - como já dizia a canção - mas sei também que ainda há vida a ser vivida, alegrias a serem sentidas e ainda tenho muito amor pra dar.
Descobri que viver é adaptar-se ao tempo, é enfrentar as circunstâncias de frente, é encarar as consequências de nossos atos, é suportar afrontas e engolir "a seco" mais vezes do que se imagina.
É também amar o que se tem e quem está conosco, é amar os amigos e os inimigos e principalmente os mais fracos, é sorrir pelo simples prazer de sorrir, é evitar o sofrimento bobo e as lágrimas sem nexo, é encarar com otimismo as dificuldades para que elas não se tornem ainda mais difíceis, e é aprender a depender de Deus, porque na realidade só ELE pode te entender e ajudar.

21 comentários:

  1. Olá querida Alice...

    Belíssimo texto muito verdadeiro, tenho a percessão que sempre te conheci, isso tem haver com o nosso lado Capricorniano!...
    Mas, nunca deixes de lutar pelos teus ideais, a idade não conta... Eu continu-o a lutar por aquilo que gosto e tenho mais idade do que tu...Amiga!...

    Beijinhos de carinho e ternura,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  2. Olá querida Alice...

    Belíssimo texto muito verdadeiro, tenho a percessão que sempre te conheci, isso tem haver com o nosso lado Capricorniano!...
    Mas, nunca deixes de lutar pelos teus ideais, a idade não conta... Eu continu-o a lutar por aquilo que gosto e tenho mais idade do que tu...Amiga!...

    Beijinhos de carinho e ternura,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  3. Querida Alice,

    já me cansei de falar para o Lou, tire a garrafa de bebida de perto quando for blogar... termina nisso, esses textos profundos, nostálgicos, que combinam bem com a neve ou chuva que caem lá fora!

    Assim me dá vontade de reler meus diários antigos, rever fotos, e ligar para os amigos esquecidos...

    Enfim, deixa eu tomar mais um trago, ler mais um Salmo, colocar mais lenha na lareira antes que essa melancolia vá embora e com ela o Natal que cada vez chega e se vai mais rápido.

    Abrçs,

    Roger

    ResponderExcluir
  4. Ó Deus, viemos ao teu santo altar
    trazer humildemente o nosso amor
    prá ver a esperança renovar
    como se renova o sol, as flores
    Na primavera vem as rosas
    sagradas, puras,perfumosas
    Tu Deus, que fazes estas rosas
    sagrado faz o nosso Amor

    Ó Deus Senhor, protege a nossa união
    como símbolo eterno que és do amor
    tu, fonte de alegria e devoção
    livra estas vidas de temores

    No outono vem os lindos lírios
    a flor perfeita dos idílios
    tu, Deus, que aperfeiçoaste os lírios
    perfeito faz o nosso amor.

    (Você conhece esse hino?)

    ResponderExcluir
  5. O comentário acima foi sobre a postagem anterior.

    Dessa postagem:

    Uau, Alicinha, que descrição...

    Li de um fôlego, e fiquei sem fôlego!!!!

    ResponderExcluir
  6. Fernanda,

    Caricornianos se entendem não é ?!
    Mas vamos em frente que atrás vem gente...

    bjkas pra vc

    ResponderExcluir
  7. Roger ,

    Sabe , aqui onde moro faz um sol e um calor de lascar a alma, mas a realidade as vezes esfria a gente como a neve !! rsrsss...e o Natal já está chegando mesmo !!

    bjussss

    ResponderExcluir
  8. Bete querida ,

    Adoro esse hino, é das antigas mas é lindo demais !! e é bem assim mesmo a nossa vida. São 30 anos juntos, de muitas lutas, alegrias, dores e sonhos, enfim, um pouco de tudo como tudo na vida.

    Ve se vem pra terrinha aqui pra gente papear !!

    bjkasss

    ResponderExcluir
  9. Esta nossa dependência de Deus merece ser bem entendida para não emnbolar tudo. Na condição de Criador Ele faz de nós criaturas. Mas temos a liberdade, concedida por Ele, para sermos o que somos. Em síntese, temos a independência ao nosso dispor, que também é concessão de Deus, o que vale dizer que o que fazemos é antes por decisão escolha nossa e não Dele.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  10. Adorei sua linda visitinha lá no Compartilhando as letras. Minha internet está super lenta, está Lerdex.Também vou te linkar para trocarmos novidades,Beijão

    ResponderExcluir
  11. Cadinho,

    é isso mesmo, somos nós os donos e responsáveis de nosso livre-arbítrio, e ELE, nossa segurança e abrigo.
    Graças por ELE que cuida de nossas vidas apesar do que fazemos com elas.

    bjksss



    Sonia,

    Eu adorei conhecer vc !! agora estarei sempre em contato e quem sabe um dia nos reunimos para um café bem gostoso !!

    bjkasss

    ResponderExcluir
  12. Com sua sensibilidade você conta um pouco da história de todos nós que já passamos dos 40.

    Mas foi muito bom, eu só tenho uma certeza, se tudo fosse diferente, eu ainda teria "saudades" do que não vivi...

    ResponderExcluir
  13. Vejo-me inteira nas suas letras. Essa ansiedade de viver, de amar. Hoje, a cada dia que amanhece, tenho certeza. O tempo é hoje.
    A gente demora mas entende e aceita. Como diz o poeta, " não se economisa vida para amanhã".
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Alice, minha querida!

    Que vida mais linda a tua, amiga! E imagino que tua conversão foi daquelas de "abalar" tudo à tua volta, só para você prestar atenção em Deus!

    Amiga, eu e a minha prima (irmã do Volney) também brincávamos de voar...pegávamos umas folhas enormes de "banana guaimbê" que havia no meu jardim, fingíamos que eram "asas" e pulávamos de uma muretinha na grama....
    Você me fez lembrar minhas maluquices, amiga!hehehe

    Querida, viver não é nada fácil, mas é bom demais!

    Te admiro muito, linda!
    Obrigada sempre pelo carinho, sempre!

    beijo carinhoso,

    Neli

    ResponderExcluir
  15. Belo texto Alice.

    Tem selinho lá para vc.

    Bom dia amiga.

    bjs.

    ResponderExcluir
  16. Querida Alice,

    Obrigada amiga por partilhar conosco tão belo e rico texto.

    Abriu a sua alma e passou para nós, que a amamos muito, toda essas vivências e experências vividas ao longo destes anos todos.

    Obrigada pelea forma aberta e transparente como o fez.
    Mostrando-se tal qual era e é.

    Sabe amiga, não conheço muita gente que seja capaz de o fazer.. por isso ainda fico a admirá-la mais.

    Sabe amiga linda, eu vou uns bons anos á sua frente!

    Cerca de vinte!

    Como se diz por aqui:
    Eu já de lá venho!
    Quer dizer:
    Eu já percorri esse caminho quanto á idade.

    È mesmo assim como diz.

    Caminhamos para a idade da maturidade, onde a nossa maneira de ver o mundo e as coisas muda muito, mesmo muito, mas para bem melhor, creio eu.

    Linda amiga,

    Que o Bom Deus a Abençoe e lhe conceda muitas alegrias e realizões pessoais, que a façam viver em verdadeira felicidade todo o restante caminho que há para percorrer.

    Que há-de ser longo, pela graça de Deus.

    tenha um lindo dia,
    Um beijo
    Viviana

    ResponderExcluir
  17. Oi Alice!
    Mais cedo ou mais tarde, a partir dos 30 anos, todos nós sentiremos a necessidade de fazer esta reflexão! Quando somos crianças queremos crescer logo e nos tornarmos adolescêntes. Quando somos adolescêntes queremos nos tornar adultos... Mas quando somos adultos queremos que o tempo pare, ou até mesmo que volte à trás. Pois os próximos passos adiante irão nos deixar cada vez mais maduros, até nos tornarmos idosos!
    Pensar que seremos idosos é tudo o que não queremos, enquanto ainda somos jovens... Eu me assustei quando ainda era um jovem de 35. Hoje sou um jovem de 43, e penso que aos 60 ainda serei bem jovem... Podemos ser jovens eternamente, se nos cuidarmos agora... Enquanto ainda somos jovens pela determinação do tempo!

    TENHA UM LINDO DIA!
    BEIJOS.

    ResponderExcluir
  18. Também estou nessa fase, só ainda não descobri bem o caminho, só sei que tenho muito amor á minha volta.
    E continuo à espera do Natal com o mesmo entusiasmo , só não quero é que ele chegue tão rápido para perdurar a vida mais um pouco( se é que isso fosse possivel).
    beijo e seja feliz

    ResponderExcluir
  19. Nossa... minha amiga querida que tanto admiro!!

    Que textooo lindoooo! Palavras sinceras que sairam de seu coração!
    Um texto quando realmente é verdadeiro, conseguimos sentir e ver ao ler as palavras soltas e as letras trocadas!!
    Amei! Me deu uma saudade da minha infãncia e adolescência... tb sempre me senti mtoo forte, queria parecer adulta e sem querer tive mesmo que madurecer mto depressa ao engravidar no auge dos meus 18 anos... mas enfim! Eu só tenho que agradecer a Deus por tudo em minha vida e pela sua tb!! Mme emocionei de verdade! Parabéns e nunca, por nada, por ninguém ... muito menos pela idade... deixe de correr atrás de seus sonhos e os mais secretos desejos!!
    Lute e que Deus te dê mtaaa luz!

    Beijos da barbie!

    ResponderExcluir
  20. Alice, que linda confissão de vida, da transformação que Deus fez na sua vida...
    E da sua história de amadurecimento

    Um dia quero saber a sua história de conversão...
    bjs

    ResponderExcluir
  21. Que maravilha de texto...parabéns, e sinto precisamente o que sentes, só que me acho um pouco mais fraca que tu...
    Obrigada por ele.
    Jinhos no teu coração

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...