17 de outubro de 2009

"ENTRE A ARANHA E O QUE ARRANHA"

Entre a aranha o que arranha,
está a manha de quem se assanha
está o ato de quem causa o fato
e o rato vigiando o gato,
está o gosto dos que viram o rosto
e os dentes dos que róem o osso...

Entre a aranha e o que arranha,
fico com a aranha,
pois,
o que arranha é o que arranca
da alma da aranha sua esperança
é o que se deleita em lambanças
e jamais se aquieta em suas andanças...

Entre a aranha e o que arranha,
há a dor e o calor
há o cheiro e o fedor
há o amigo e o traidor...

Entre a aranha e o que arranha,
com quem estará o amor?

6 comentários:

  1. Lindo texto. Como sempre!
    Alice, muito obrigado por alegrar e inspirar nossos dias com seus indescritíveis textos. ;)

    ResponderExcluir
  2. Alice querida,

    Gostei do poema, linda!

    Eu também me pergunto, amiga:

    "com quem estará o amor?"

    beijinhos de bom domingo para vocês!

    Neli

    PS: Alice, anota o link para o meu novo blog de HAI-KAIS. Aquele foi preciso deletar. Beijocas

    http://hai-kaijeitinhobrasileiro2.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Entre a aranha e o que arranha soubeste tecer bem e fizeste do trocadilho uma bela teia!
    Abraço da Paraiba...

    ResponderExcluir
  4. "Entre a aranha e o que arranha...há o amigo e o traidor..."
    Essa ficou muito boa, hein!

    Gostei bastante!

    ResponderExcluir
  5. Ain que fofinho!
    O amor está com tudo e em tudo!
    às vezes arranha.. mas ainda assim é amor!

    Obrigada pela visita,
    volte sempre!
    Abraços manhosos!

    ResponderExcluir
  6. Alice,

    Quando se está entre a cruz e a espada, talvez a opição seja dizer como sua postagem anterior: Tô no vão!

    Abraço.

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...