29 de novembro de 2009

Chove


Chove.
E eu estou tão cansada que tenho vontade de chorar com meus ossos a dor dessa canseira.
Chove.
E eu nem sei mais onde me apego ou onde me deito.
Chove.
E o meu desejo é me lançar nessa chuva e esfriar minh'alma.
Chove.
E eu me sinto só, demasiadamente só.
Chove.
E eu aqui, esperando pelas águas ...

8 comentários:

  1. Alice querida,

    Eu quis tanto falar com você ontem...devia ter pedido o telefone da sua irmã para o Tatá, linda!

    Que o Senhor sopre o sopro do descanso sobre esta minha amiga querida, e que renove suas forças através das nossas orações!

    beijo, linda!

    Neli

    ResponderExcluir
  2. a chuva purifica a alma
    e pacifica o coração aflito...
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Muito lindoooo o poema!


    Eu amo chuva de montão, e sempre me inspira bastante!




    Perdão, fazia mt tempo q não vinha aqui.




    beijos Alice,
    Fique na Graça!

    ResponderExcluir
  4. Há sempre um dia de Sol depois de um dia de chuva, não esqueça isso amiga.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Alice:

    Cheguei até aqui nas minhas andanças pelos blogs dos meus amigos, e fiquei encantada com seus textos, pois há alma de uma mulher guerreira onde desnuda seus sentimentos, dores, alegrias e esperança. Eu não tenho o dom das letrinhas, mas admiro profundamente pessoas como voce que coloca suas emoçõe e sentimentos...não faz idéia como seus textos são luzes para quem também está passando certos momentos da vida, eu sou uma delas.


    beijos,

    ResponderExcluir
  6. Que as chuvas, assim como as lágrimas, lavem o teu coração e te deixem mais livre, leve, solta.

    ResponderExcluir
  7. Alice,

    tenho andado sumida da net devido a problemas pessoais e internáuticos...

    Mas entendo bem de chuva!!!
    Chuva que desce e lava a alma, chuva que às vezes teima em nos submergir,
    Chuva que parece não ter fim...

    Mas esta mesma chuva que teima em nos deixar melancólicos, também nos faz descansar em Deus, até tudo passar.

    E tem a chuva seródia, aquela chuva de bênçãos que parece retardar, mas vem ao nosso encontro quando Deus se apieda de nós, e não nos deixa sossobrar...

    Que esta chuva seródia chegue à sua alma, ao seu lar!!!

    E as águas purificadoras te embalem, e ao Tatá.

    bjs seródios (tardios)

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...