9 de março de 2010

Jogar, Lançar, Colher, Sorrir...

Se eu jogar minhas palavras ao vento, o tempo as colherá.
Se eu jogar minha sorte ao vento, alguém de mim a roubará.
Se eu jogar meu amor ao vento, a solidão me envolverá.

Mas, se eu lançar a Palavra ao vento, o Espírito por homens a semeará.
E se eu lançar a minha sorte ao vento, Deus certamente me abençoará.
E se eu lançar o meu amor ao vento, ele será livre para também me amar.

Veja que se jogo eu desprezo, mas se lanço é porque me entrego e se desprezo, então perderei ; mas se lanço, certamente colherei.

Então me lanço todos os dias nessa louca ventania do espírito e renovo minha liberdade e minha alegria de poder amar e ter comigo tantos amores e tantos amigos.

Um comentário:

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...