30 de agosto de 2007

As mãos do meu amado

Sempre que tu me tocas eu me esquento,
é como chama que derrete o gelo,
é como gelo que queima a carne,
é como pimenta que arde.
Tu sabes sempre onde tocar,
como fazer arder, como fazer queimar,
porque sempre que tu me tocas eu me esquento,
eu me ardo e me queimo...
Ah!, como preciso dessa dor,
desse calor,
desse ardor,
me queimando o corpo,
me ardendo a alma,
me derretendo toda...
aaaahhhhiii...

6 comentários:

  1. Arrrrreeeeeepiiiiou!!!!!
    Sabe que eu amo as mãos do Márcio?
    É pegar e esquentar hehehehe.
    Um beijo linda!

    ResponderExcluir
  2. Olá Alice, vou passar a tarde lendo
    e tentando comentar seus textos, com uma certa dificuldade pois apesar de sucintos, são muito gosto
    sos de ler e sentir que algo forte
    se esconde nas entrelinhas e só você é capaz de desvendar o que de secreto existe.Bjão e bom findi pra
    você.

    ResponderExcluir
  3. Oi Alice,obrigado por ter respondido ao meu email e tambem pela visita la no piano. Você tambem já está nos meus favoritos.
    Muito legal o seu blog. Tenha uma boa noite.Vou adicionar o seu msn, o meu:pianomanga@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Alice,bom dia.Ja adc. você no msn- pianomanga@hotmail.com
    Continuo com a mesma opinião de que o segredo dos seus textos, poesias e quejandos, está nas entre linhas. tem que saber le-los. Um bjão e ótimo domingo.

    ResponderExcluir
  5. ousadamente coloquei seu bolg nos meus preferido do meu blog..espero que naum se importe...
    amei se blog Alice...
    abraço
    kédma danyele

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...