30 de janeiro de 2008

Arrazoando com Deus

Haverá descanso para a alma roubada, sequestrada, violentada, e destruída em tudo o que mais amava ?
Haverá descanso para aquele que fez, construiu, ornamentou, cuidou, zelou, suou, entregou, doou, trabalhou com tanta dedicação, amor e carinho e do dia para noite foi invadido pelo ladrão e assassino, e se vê sem nada mais do que amava em suas mãos?
Haverá descanso para alma que conhece a face, o endereço, o nome, RG, CPF, o título de eleitor, os defeitos, os gostos, e as doenças de seu algoz ?
Haverá descanso para quem procura a paz e tudo o que encontra a sua volta é a guerra declarada a alma humana?

Talvez se fossemos anjos,
ou quem sabe arcanjos,
seres alados e adoradores
desprovidos dos sentimentos de dor e recheados do mais doce amor.
Quem sabe se fossemos extra-terrestres
seres superiores
e sobre suas dores, extirpadores
viajantes das galáxias
com dia e hora para partir num disco voador.
Talvez se fossemos santos
quem sabe milagreiros ou profanos
acima de tudo e de todos
justiceiros divinos
conhecedores das intenções humanas,
assentados ao lado de Deus.
Talvez, quem sabe assim
as lembranças não existiriam
e de tão superior que seríamos
nossa dor faria rima com amor.

Quem sabe se a hipocrisia de quem se diz superior
o virasse do avesso.
Quem sabe se toda humanidade junta e no mesmo instante
se tornasse verdadeiramente humana e assumisse
a verdade do que sente.
Quem sabe,
se aquele que te julga fosse mesmo, e na mesma medida, julgado diante de ti.
Quem sabe se o tempo fosse nosso,
se a cura fosse nossa,
se as decisões fossem nossas,
ou se controlássemos o amanhã.

Quem sabe nesse dia e dessa forma,
eu encontraria a resposta
para as verdades
para as injustiças,
para as ironias dessa vida.

Quem sabe assim então haveria mais respostas para mim.

8 comentários:

  1. Quem sabe, sinto que estamos caminhando pras respostas.

    Gostei muito! Beijos

    ResponderExcluir
  2. Alice,

    muito obrigado pelo carinho. Este seu-nosso espaço também me traz muita alegria e paz. Permaneça conciliando conteúdo e beleza, pois faz bem para a mente e para o coração.

    Graça, paz e bem!

    ResponderExcluir
  3. Ai, nao sei nao se as curas fossem nossas... nao creio que estejamos preparados para tal.

    Alice, como sempre profundo, nos leva a refletir e muito sobre o que fazemos com o nosso tempo e nossas decisoes.

    Grande beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá querida Alice belíssimo texto.
    Muitos beijinhos de carinho.
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  5. Vim agradecer a visita ao Mar de Sonhos... e adorei este texto amiga.

    Quem sabe? Ficará sempre a interrogação... mais uma entre muitas, as quais nem sempre encontramos respostas fáceis para dar.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Doce alice! Amada e cansada de tantas injustiças... Também estou minha nobre... Também estou...

    Quem entende o que ocorre... Procuro um sociólogo PHD para tentar nos explicar o que acontece com o mundo e mesmo assim acho que suas respostas serão vagas e imprecisas... anos de estudo não explicariam nem curariam as dores de quem sofreu...

    Lembrei de uma música da Ana Carolina.. "Nada te faltará..."

    Já escutou? É do cd dois quartos...

    Beijos!

    Cadê a Mamaaaaaaaaaaa!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Os pesares dividem as marés
    A idade do ouro ainda tarda
    Os anos passam como gotas varridas
    Por um tempo que retrata o nada


    Convido-te a saborear um absinto no meu espaço
    pela Taça de Fino Ouro



    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  8. Boa noite Alice,

    Parece-me que o cálice de todos nós está guardado.
    bjs.

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...