17 de março de 2008

Fim da corda

Ahhh ! ...olha que eu ainda lanço um grito,
que me rasgue a alma
e que desfaça o mito!
Ah!...ou então vou correr feito uma louca,
me descabelar toda
e arrancar o som dessa minha voz rouca!
Ah! ... que eu quero mesmo é jogar fora
essa pressão que me desafora
e me afronta por desforra!
Ah! ...que eu ainda mato o fato!
e eu ainda enforco o ato
e eu ainda dou um laço
que nunca mais desato!

Ah! que eu ainda sumo daqui !

15 comentários:

  1. Se sumir, vê se aparece logo,rs.

    Que linda a sua homenagem aos seus sobrinhos. Coloquei por aqui a leitura em dia.

    Beijao

    ResponderExcluir
  2. Alice,

    Se você fugir, pode me dizer pra onde ir, pois com certeza, estará melhor do que eu...

    Bela poesia!

    Bjs

    Janaína

    ResponderExcluir
  3. Boa noite amiga.

    A alma da gente as vezes que se despertar em um grito e calamos dentro do coração.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Um dia, todos nós, com certeza, não hoje e quem sabe tb não será amanhã, está ai um fato que não temos nenhum controle...

    PS.: Meu blog agora tem companhia, pela minha ausencia, e por meu anseio de não deixar meu caderno esquecido num canto, convidei meu primo que apesar de ter problemas em editar seus posts, escreve muitas vezes melhor que eu... espero que seja uma mudança a acrescentar...

    ResponderExcluir
  5. Sumir? E como esconder a luz da sua alma que a todos nos envolve e encanta? Quer queira aonde você vá, essa luz lhe denunciará...
    AW

    P.S: Abaixo, no outro post, deixei um recado do coração.

    ResponderExcluir
  6. Olá querida Alice... Votos de uma Santa Páscoa... Beijinhos de muito carinho,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  7. Belo de triste... "Arranque mesmo o som dessa sua voz rouca" e jogue para fora todos seus pensamentos, assim poderemos + um pouco apreciar, e te ajudar a voltar =P



    abração Aline
    Fique na GRAÇA!

    ResponderExcluir
  8. "e eu ainda enforco o ato
    e eu ainda dou um laço
    que nunca mais desato!"

    Jogar fora o lixo, o que não nos cabe em espírito.....


    Te link;)

    Podes link sim!
    Me perdore a demora:P

    ResponderExcluir
  9. Dramático o teu "Ai ainda"...


    Mulher da ilha é solidão
    É espera do vapor da madrugada
    É aroma de milho em mesa de pão
    É pio de milhafre, alma assombrada

    Mãe em ninho feito de frias pedras
    Por duras mãos cheias de jeito
    Não sei se de ti brota um morno leite
    Ou escorre rubra lava do teu peito

    Boa Páscoa


    Terno beijo

    ResponderExcluir
  10. "Sumemos!"

    Muito bom Alice. Coisa muito boa mesmo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Tou adorando essa tua nova fase...
    O fim da corda é o começo de uma grande era.

    =)

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Venho dar a conhecer e convidar-te para conheceres e tornares como algo frequente a tua visita pelo meu blog “Silêncios da Alma”, um espaço onde partilho os textos que escrevo com sentimento…espero que gostes, serás sempre bem-vindo(a).

    ResponderExcluir
  13. aí Alice, vc que gosta de pensamentos


    dps dá comenta um post q eu fiz no blog do meu amigo: http://danieldliver.blogspot.com/

    com o título: "Ética protestante e o Espírito Capetalista" =P


    abração
    FELIZ PÁSCOA!

    ResponderExcluir
  14. aahh, você gritou tudo que minha alma grita d-i-a-r-i-a-m-e-n-t-e!

    se conseguir sumir me conte como!

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...