28 de março de 2008

Um vento

Se houvesse um vento
um sopro
ou uma brisa
que do céu viesse e me descabelasse
que refrescasse o tempo
e esfriasse a vida
que afastasse a dor
e me acalmasse o anseio.
Se houvesse um vento
que me trouxesse as novas
e que fossem boas as novas que viessem
que me dissessem tudo
o que pedisse a alma
e revelassem tudo
e me deixassem calma,
Então,
esse vento me traria
todos os meus sonhos de volta
e numa brisa me diria
segredos e poesias
e num sopro eu iria
do silencio à sinfonia.

Mas só se houvesse um vento.

10 comentários:

  1. Oie minha querida...

    Desculpe-me pela ausência, pois o mosquito da DENGUE me mordeu, e me deixou de cama por 3 longos dias... Ainda estarei de repouso até 2ªfeira....

    Bjs

    Janaína

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Sim, não foi desta vez ainda que parti, um xilique, coisa de mulher.
    Tenho um vento que me tem feito feliz, não muita coisa a desejar mais.
    bjs;.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, como eu preciso de um vento assim. Que me dê um sopro e tanto, me empurrando para frente.

    Belo!

    =*

    ResponderExcluir
  5. Oi, querida!

    Esse anseio pelo vento te move, te faz escrever, poetizar a vida e nos contagiar!!...
    Bjs.... Wal

    ResponderExcluir
  6. oii alicee, adorei o visaul novo do blog ;)

    "o vento vai dizer o que virá, e se chover demias, a gente vai saber claro que um trovão, se alguém depois sorrir em paz..."

    ResponderExcluir
  7. Como fico feliz em vir aqui e ler suas poesias. Linda, como as outras.
    Um super beijo!!

    ResponderExcluir
  8. Lindooooo esse sol vermelho a o fundo! Amei Alice... =)




    beijão
    fica na Graça!

    ResponderExcluir
  9. Stroka, o visual do blog está viajante.

    fuuuuuuuuuu

    sentiu o vento?

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...