12 de novembro de 2009

Deus é Pai


Esperar é angustiante.

A angústia é a filha mais velha da espera.
Ela nasce na expectativa dos acontecimentos e cresce com o impacto dos fatos.

A angústia não chega a ser má, mas pode ser letal.
Letalmente destruidora de toda calma que conseguimos adquirir para enfrentar os fatos.

Mas a angústia pode ser dominada e vencida, mesmo que nunca venha a desaparecer, podemos dominá-la ao ponto de não transparecê-la ou não permitir que ela nos destrua.

Dominá-la exige esforço intelectual e espiritual.
Intelectual porque é necessário desejar dominá-la com praticidade e frieza de sentimentos, e espiritual porque só Deus pode nos fortalecer para isso.

Parecemos fortes, mas somos extremamente frágeis e sensíveis, fracos e destrutivos, pequenos e solitários.

Nessa minha caminhada de vida venho descobrindo a cada passo o quanto somos solitários e o quanto apenas em Cristo encontrados abrigo.

Não que o próximo não seja teu amigo ou companheiro, mas apenas porque ele também é tão frágil, pequeno e fraco como você e ele também precisa DELE .

Tenho vivido dias de angústia e de expectativas, dias de espera, dias em que o futuro tem se apresentado como uma espécie de filme de suspense e me causado calafrios.

Uns dizem que é medo, mas digo, é angústia.
O medo é diferente. O medo é uma arma de defesa, é um sentido de alerta, mas a angústia é o sentido direto dos fatos.

Sou ansiosa por natureza, costumo pensar 300 coisas ao mesmo tempo e fazer outras 300 juntas, mas quando me sinto angustiada meus movimentos travam e sou obrigada a me entregar a alguém maior e melhor, e que de preferência, seja realmente Poderoso, ou seja, Deus.

Com ELE aqui comigo, ainda que a angústia sente-se ao me lado, é com ELE que ela deverá falar.
Ainda que a angustia venha "puxar o meu pé" na madrugada, é o DELE que ela vai encontrar.
Ainda que a angústia me traga diagnósticos estranhos ou terríveis, é a ELE que ela deverá entregar.

Se estou em Cristo, então estou escondida em Deus...
Se estou escondida em Deus, a angustia não pode me roubar a calma...
Se ela não me rouba a calma, eu terei equilíbrio para agir diante dos fatos...
E se eu agir diante dos fatos, minha fé estará em movimento...
E se minha fé se movimenta, certamente acontecerá um milagre.

Deus é Pai.

7 comentários:

  1. Admiro sua coragem em escrever sobre esta fraqueza (que é a tua força!), de admitir que é humana e angustiada (e quem não é?), mas que acima de tudo tem um Paizão que está sempre presente.

    Gostei demais do que li. Gosto de ler coisas assim, escritas por "gente"... por humanos!

    Abração para ti,

    Leonardo.

    ResponderExcluir
  2. Nào há muito o que falar quando alguém está triste, eu só posso ficar complacente e pedir pro Papai do céu consolar vc e a família.
    Bj mil, muita força!

    ResponderExcluir
  3. Eu creio que a angústia só nasce porque criamos expectativa dos acontecimentos, e é uma etapa a ser vencida mesmo sabendo que no fim terá o consolo de Deus.

    Creio que para se aprofundar VOCÊ deveria matar as expectativas e viver o hoje!

    Assim descobrirá outras coisas que precisa DESTRUIR...

    ResponderExcluir
  4. Repita sempre - em voz alta, ou baixinho, ou só na mente - o título deste post.
    Só.

    ResponderExcluir
  5. Descobri este canto e nele naveguei, descobrindo o sabor dos textos e o perfume das palavras.

    Acabo o meu comentário dizendo...

    Deus é Pai

    Luis

    ResponderExcluir
  6. Olá, Alice!

    Maravilhoso texto. Estou mais uma vez aqui, tendo o prazer de apreciar o seu modo de escrever com tanta sensibilidade e clareza, sobre coisas tão profundas.
    Com certeza esse texto abençoou muito a minha vida.
    Que Deus te abençõe muito e renove a cada dia as suas forças.
    O Senhor é contigo!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Só a Entrega total é capaz de nos transformar.
    Obrigada , Deus, Por me fazer chegar a essa moça.

    http://incongruentelisura.blogspot.com/2009/06/irmao-amigo.html

    Beijo :)

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...