8 de março de 2011

ABSINTO

Não sei,
se o que sinto
é pecado,
não sei
se deixo passar
ou se viro de lado
só sei
que sinto
e como absinto a arder
minh'alma está a ferver
não minto,
e não sei mesmo
se o que sinto
é pecado
se há algo a virar
ou será só o tal mar que é virado
e o que sinto
eu brinco
e numa onda ou num gole de absinto
mergulho e esqueço
e logo depois
amoleço.

2 comentários:

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...