19 de dezembro de 2011

E então um dia...

E então um dia não estarei mais aqui.
Meu lugar na cama estará vazio, e o almoço não serei mais eu quem farei. Minha voz já não dirá sobre nada e a foto na prateleira será trocada.
Meus filhos com o tempo terão de mim apenas as lembranças maternais, e meu marido talvez coloque outra melhor em meu lugar.
Meus amigos me esquecerão e apenas serei lembrada por breves momentos até que o esquecimento os tome por completo, afinal, não estarei mais aqui.
Tudo em mim será silencio.
Tudo em mim nada será.
Tudo em mim não estará.
E então um dia, não estarei mais aqui.
Talvez eu esteja lá, com o Pai a finalmente descansar, quem sabe meu lugar já esteja pronto e logo eu possa ir para lá.
Talvez o nada tome conta do que fui e eu simplesmente desapareça junto ao tempo, e o silencio seja então meu companheiro, afinal, não estarei mais aqui.
Quem sabe seja a hora da paz, a hora onde minha alma finalmente descansará da angustia e da ansiedade da vida,da tristeza e da solidão, talvez seja mesmo a volta ao lar, ao lugar de amor.
Talvez eu finalmente sinta me bem, tranquila e feliz.
Quem sabe nesse dia em que o sol findar eu possa definitivamente sossegar.

3 comentários:

  1. Esperanças, minha amiga. Dúvidas e esperanças. Aquelas, doloridas e frustrantes. Estas, frágeis como "a chama de uma vela que qualquer um pode apagar" (P. Brabo). É tudo o que temos: dúvidas e esperanças...

    ResponderExcluir
  2. "Partir e estar com cristo é incomparavelmente melhor" (apóstolo Paulo)

    Mas, enquanto isto não acontece, que Deus nos dê a Sua sabedoria para vivermos da melhor maneira, para fazermos aquilo para o qual Ele nos criou, afinal, ninguém faz hora extra neste mundo...

    bjs e Feliz Natal!!!

    ResponderExcluir
  3. 02/01/2012 e aqui estou passando pelo primeiro blog que ví há alguns anos. Foi depois de ver Alice no país do pensamento que eu me senti encorajado a criar o HumbertodeLima.com.

    E enquanto não chega o dia de ver o Pai, viver é preciso, Alice! Afinal, esse mundo é um mundo carente de poetas!

    Daqui do interior da Paraiba mando meu abraço...

    ResponderExcluir

Comente, mas não tente decifrar-me.
Nem sempre escrevo por mim, muitas vezes escrevo para mim também...